Monthly Archives: outubro 2009

Medo, meda e zumbis

Hoje é chique ter medo. Para ser mais preciso, é essencialmente classe-média. Ter medo é reforçar a presença do inimigo, seja este um político liberal, um preto pobre que cruza a rua ou um novo vírus cujo único remédio eficaz é encontrado exclusivamente em hospitais públicos. Hoje, medo é combustível; dá um propósito, uma direção à vida das pessoas. Sem medo, imagine só, o que fariam? Ó liberdade lancinante que ninguém quer é essa a de ser invulnerável ao medo. Sim, o medo vicia. Uniformiza. Acomoda. E as pessoas têm medo de tudo… Continue lendo | 4 comentários

Posted in Tese | Tagged , , | 4 Comments

“Lê a Bíblia e perde a fé.”

Acreditar em Deus e achar que ele tem alguma coisa a ver com a Bíblia é associá-lo a uma série de genocídios em massa, estupros e outros tipos de perversões. O número de pessoas assassinadas por Deus no Velho Testamento é de causar inveja a muito super-vilão por aí, e não podemos ignorar que muitas dessas pessoas eram inocentes. Aí eu fico me perguntando, como diabos alguém ainda diz que a Bíblia pode servir como fonte de moralidade para alguma coisa? Por que há quem justifique suas escolhas dizendo que “a Bíblia manda”?… Continue lendo | 30 comentários

Posted in Tese | Tagged , , , , , , | 30 Comments

Entre a língua e o palato

“Sabia que a soma de todo o tempo que passamos dormindo equivale a um terço da nossa vida?”, ela me perguntou. Não falei nada na hora, só olhei e sorri, não valia a pena comentar o quanto eu achava imbecil esse tipo de informação, ou pior, o quanto eu sinto desprezo por quem sai repetindo essas bobagens só porque em alguma noite mal dormida ligou no Discovery Channel e viu algum pseudo-documentário que, por completa falta de competência intelectual do autor, trouxe tamanha bobagem como dado. É, fiquei calado, não queria deixar que aquela irritação invasora me tomasse o momento… Continue lendo | 2 comentários

Posted in Microconto | Tagged , , , , , , | 2 Comments

Nas entrelinhas

“Um Cavaleiro Mascarado sem tomate e com muita maionese.” “E pra beber?” “Coca Zero.” Quando a garçonete saiu, cheguei mais perto. “Você viu que quando nós chegamos tinha uma pessoa na máquina de tickets do estacionamento?” “Vi”, ela respondeu colocando parte do cabelo para trás da orelha enquanto mexia em alguma coisa na bolsa. “Fico puto com isso.” “Isso o quê?” “Essas pessoas que ficam ajudando a tirar o ticket da máquina. Simplesmente não faz sentido. Pense comigo. Se os donos do shopping fazem uma reunião de doze horas sobre como cortar os custos do estabelecimento e decidem colocar umas… Continue lendo | 3 comentários

Posted in Microconto | Tagged , , , , | 3 Comments